Antes da imigração | Opinião

Como estou me preparando para morar no Canadá

Por Eder C. Matias

Salve meus queridos (as)! Ça va? Estamos iniciando uma série de textos escritos por pessoas que ainda estão participando do processo de imigração para o Canadá com o objetivo de trazer diferentes pontos de vistas, experiências (boas e ruins), dicas e tudo o que puder ajudar a quem ainda está sonhando com a vida nas Terras Geladas. Hoje, nosso colaborador é o Eder C. Matias, que nos traz seus primeiros passos e como está se preparando para encarar a longa caminhada para se tornar residente permanente, via processo de Québec. Pelo visto, ele está fazendo bem seu dever de casa. E você? Está fazendo o seu? Sim? Parabéns!

Não? Então aproveita e tira uma colinha do Eder.

_______________________________________________________________________________________________________________

QUEM SOU EU

Eis aqui mais um da espécie “Brasilis Imigrantis” que está iniciando o processo para ir viver no “cubo de gelo”, também conhecido como província do Quebec, Canadá. A galera do Montreal Na Real cedeu o espaço para contar um pouco da aventura (e que aventura!) em iniciar um processo de imigração para outro país, mas acima de tudo contar muito do que se passa ainda no lado brasileiro.

Mas antes, parafraseando o rei Julian do filme Madagascar, você se pergunta: Quem sois vós?

Este que vos fala é Eder Camargo Matias, nascido em Junho de 1982, casado desde … hummmm… espera um pouco que estou procurando na minha aliança… ahhh 2005. Tenho uma filha de 4 anos, que para todo pai babão é a coisa mais linda do mundo, além de um “dog malucão” chamado Bella, a loka. Moramos em Curitiba-PR e por mais que tenham surgido boas propostas em outras cidades, Curitiba ainda é melhor para o tipo de vida que queremos.

Um pouco mais sobre o Tio Eder:

Trabalho na área de TI desde 2003, e hoje atuo como consultor sênior de projetos de BI (Business Intelligence). De noite ainda dou aulas na mesma área como professor universitário desde 2009. Atualmente leciono e oriento projetos de conclusão de curso na Universidade Positivo (desde 2012). Falo bem inglês, mas somente agora em 2016 iniciei o curso de francês.

Mas porque toda esta apresentação?

Acho que será útil para entender as motivações de todo meu processo de imigração.

foto2

 

PORQUE IMIGRAR

Historicamente falando o ser humano só é o que é hoje devido à migração. Simples assim.

Os fatores mais defendidos são:

  • Quando há falta de qualquer recurso básico para sobrevivência
  • Quando há falta de segurança
  • Divergências políticas e ideológicas na sociedade em que reside
  • Busca por aventura e novos horizontes

“[…] o movimento e a mistura de populações, por vias pacíficas ou não, estão na origem de enormes progressos da humanidade.”. (BARRETO, 2009).

 

MOTIVAÇÃO

Todo mundo tem seus motivos para imigrar, mas o meu se chama “Julia”, minha filha.

Eu sou um profissional bem sucedido, minha esposa também, e temos uma vida boa sem passar necessidades. No entanto, dar uma boa qualidade de vida para minha filha no Brasil exige muito esforço (e muita paciência). Os principais aspectos que preocupam na formação da milha filha são:

  • Governo com sérios problemas para governar.
  • Segurança pública não compatível com o grau de violência. Se quiser segurança, pague por conta além do que você já contribui para o Estado.
  • Saúde está literalmente na UTI. Se quiser saúde, pague por conta além do que você já contribui para o Estado.
  • Mobilidade urbana deficitária, e olha que Curitiba tem um dos melhores sistemas de transporte público do país.
  • Cultura do país contaminada pela corrupção, e contraditória ao que ensinamos a ela.
  • Resumindo: Paga-se muito, recebe-se pouco. Se quiser algo decente, pague por conta se puder. E mesmo assim, terá que conviver com um meio corrompido.

Lógico que o cenário atual (2015-2016) fortalece a ideia de imigrar, mas isso vem sendo alimentado por mim há algum tempo, mais especificamente quando casei e minha esposa comentou comigo que o Canadá (Montreal) foi o lugar mais incrível que ela já esteve. Pronto: É pra lá que eu vou!

 

O IMPACTO NA FAMÍLIA E VIDA SOCIAL

OK! Tenho vários motivos para imigrar. Agora posso iniciar o processo e ir me cadastrando no site? Não!!!! Se acalme José! Tudo que você faz na sua vida envolvem riscos. Já pensou nisso?

Antes de começar qualquer coisa, leia no site oficial do governo como funciona o processo de imigração. Se você está com preguiça porque é muito conteúdo, achou complexo, etc, etc, etc., fique no Brasil, por favor! Você não está realmente engajado nisso!

Se você pensar: Primeiro eu vou, depois eu me viro! Sinceramente acho que você vai entrar numa “gelada”!

Tudo na sua vida vai mudar. Tudo mesmo! E o maior impacto será a despedida dos familiares e amigos. Se há um elo forte como eu tenho, pior ainda.

Não posso ser egoísta no processo, então a lição de casa precisa ser feita, e conversar com os amigos e familiares mais próximos vai ajudar. Mesmo que na sua mente o projeto “vou imigrar” esteja plantado e crescendo vertiginosamente, sair do país com a família e amigos apoiando é reconfortante e será de grande valia nas horas que a saudade bater. Isso também vale para aqueles que são solteiros.

Eu em particular tenho um agravante: Será que minha filha e esposa irão se adaptar? O meu risco de adaptação consigo até mensurar, mas e elas? Estes riscos precisam ser “calculados” e “mitigados”. Desculpa aí, mas é vício de gestor de projetos! 😛

Ok! Já passei pela fase da família. Agora é só imigrar? Não! Definitivamente, não!

Faça um exercício básico, mas eficiente: Anote tudo num diário o que você faz num mês, e depois tente aplicar isso num lugar que você mal conhece. Difícil né?

Para entender como o planejamento é complexo, vou citar alguns aspectos que eu procurei me aprofundar e acredito que você precise saber na hora de escolher o local que deseja imigrar:

  • Aquisição de Automóvel
  • Aquisição/Locação de Imóvel
  • Vida com cães (se tiver, claro)
  • Ensino Primário – Escola Infantil
  • Ensino Superior
  • Fins de semana
  • Pessoas
  • Saúde e Vacinações
  • Trabalho
  • Trânsito
  • Transporte Público
  • Violência
  • Vizinhos
  • Documentações – Cart. Habilitação, Tit. Eleitor, Visto
  • Hábitos
  • Alimentação
  • Higiene Pessoal
  • Investimento
  • Vestuário
  • Imposto de Renda
  • dinheiro Canadá/Brasil
  • Etc, etc, etc

Só isso!? Não!!!

Há várias dúvidas que permeiam seu cotidiano que podem lhe frustrar quando chegar ao seu destino. A internet facilita muito o aprendizado e conhecimento da nova cultura, mas mesmo assim ficam “buracos” que só serão preenchidos quando você pisar na nova terra. Lembre-se: Aprender só com teoria é o mesmo que matar a fome só lendo o cardápio.

Eu tenho uma planilha com “zilhões” de links, estudos de rotinas, material oficial, etc, etc, etc. Leio e releio semanalmente para evitar cometer erros.

Particularmente acredito que o maior erro é ir morar em outro país e levar consigo “vícios” culturais que podem lhe complicar a vida. Como vivemos num país onde pequenas (e até grandes) infrações são banalizadas, isso pode gerar problemas de adaptação. Resumindo: Não leve seus vícios “brasileirinhos” na bagagem! O Canadá agradece!

A galera do “Montreal Na Real”, do “PoDeixar” e do blog “Os patos migram em bando” tem ajudado muito na solução de algumas dúvidas. Eles fazem um grande trabalho pra mostrar como é a vida na província do Quebec.

E lógico que não poderia faltar: O idioma! Prepare-se bem, pois só com o básico vai evitar que você morra de fome, mas não te ajuda em nada na imersão social. Isso pode gerar traumas.

 

CONTINUIDADE E MUDANÇA DE CARREIRA

Conforme citei no meu perfil acima, já estou bem inserido no mercado de trabalho local do Brasil, mas isso por si só não é garantia de trabalho no “cubo de gelo”. Nos bons anos de progresso do Brasil, sempre recebia pelo menos uma vez por mês boas oportunidades de trabalho, mas atualmente não mais. Vários colegas que moram espalhados no Canadá me falam que as condições de trabalho para minha área (TI) são boas e que o mercado está bem aquecido.

OK! Bora pro cubo de gelo então! Calma… Muita calma!

Ir trabalhar em outro país é praticamente recomeçar uma carreira, pois partindo do pressuposto óbvio, cada lugar tem uma forma diferente de conduzir o cotidiano de trabalho. Resumindo: Eles não conhecem seu jeito de trabalhar, e você não conhece o deles.

Pesquisar bem sobre o mercado de trabalho local é preciso, então recomendo fazer contato com profissionais da sua área que já estão lá. Assim você pode se preparar melhor para ser mais bem aceito e mais rapidamente inserido no meio de trabalho.

Não vou entrar no aspecto de quanto é o suficiente ganhar para viver com dignidade no Canadá, mas é bom fazer uma boa pesquisa da sua profissão e ver a média de valores. O pessoal da “Abacus Talent” tem alguns vídeos bem interessantes da área de TI e já gravaram um podcast sensacional com o pessoal do Montreal Na Real.

 

EXPECTATIVAS

Conversando com pessoas que tem o objetivo de imigrar, ouço as mais diversas expectativas, como por exemplo: “Vou finalmente conseguir comprar minha BMW!”; “Vou poder finalmente ganhar muito dinheiro!”; “Vou morar numa mansão”, etc, etc, etc. Meu camarada… Se você está com esta expectativa, acho que o Canadá não é o lugar para você! Se você pesquisar bem, verás que o Canadá é uma sociedade igualitária (de modo geral). Você pode até conseguir tudo isso que citei acima, mas o país tem muitas coisas melhores que isto. Novamente: Pesquise!

As expectativas são todas as possíveis! Mas a principal para mim é viver em paz de espírito e numa sociedade mais justa. O resto é simplesmente viver!

Problemas terão em qualquer lugar do mundo, mas o principal é que o bônus seja maior que o ônus.

Em Janeiro de 2016 iniciou-se o processo de aplicação para imigração On-Line. Como todos que acompanham o assunto já sabem, foi uma bagunça. Particularmente eu tenho perfil para imigrar, mas como você pode ver neste texto que escrevi, ainda há riscos que precisam ser mais bem mitigados. No meu caso o idioma é o maior deles.

Felizmente o MIDI está tomando as devidas atitudes rapidamente, e ainda em 2016 haverá novo processo de aplicação. Este eu irei participar e conto pra vocês a aventura.

 

Textos relacionados

Brasil tem destaque no maior salão de alimentação ... Quando pensamos sobre as qualidades do Brasil invariavelmente nos vem à cabeça a nossa culinária diversificada e aclamada no mundo todo como uma das mais saborosas e criativa. Isso explica o sucesso do pavilhão brasileiro na 13a edição do  SIAl, o maior salão de alimentação e bebidas da América do Norte, que aconteceu essa semana no Palais du Congr...
#75 – Cultura do estupro O Brasil foi às ruas nas últimas semanas motivado pelo caso do estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos no Rio de Janeiro, que chocou o país e ganhou destaque internacional nos noticiários e nas redes sociais. Grupos se manifestaram pelo fim da violência sexual e contra o machismo na Esplanada dos Ministérios e no Congresso Nacional, em Brasí...
Recomeçar é uma benção, mas pode se tornar maldiçã... "Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia e, se não ousarmos fazê-la, teremos, ficado, para sempre, à margem de nós mesmos" - Fernando Teixeira de Andrade. Ou como bem canta Beth Carvalho no samba  espetacular...
#64 – Realizando o sonho da casa própria Será que é fácil realizar o sonho de ter um cantinho para chamar de seu no Canadá? Existem financiamentos que o imigrante tem direito? Quanto dar de entrada? É melhor comprar ou pagar aluguel? Quais os desafios de ter uma casa num local que neva a maior parte do tempo e onde é muito difícil ter empregados que se encarreguem de limpeza e manutenção?...

Sobre o autor
Eder C. Matias

Eder C. Matias

Consultor sênior de projetos de BI (Business Intelligence), professor universitário, pai, marido, morador de Curitiba e futuro imigrante no Canadá.


Comentários 3

  1. Hosenan Pimentel Cordeiro

    Fala Eder, excelente o seu texto. Também sou de Curitiba, também trabalho com TI, também trabalho com BI e também tenho um filha de 4 anos… ou seja… estou na mesma que você, tenho o perfil pra imigrar e o francês é o “empecilho” momentâneo… eu e minha esposa já estamos estudando e daremos entrada no nosso processo de imigração em 2017, possivelmente. Os motivos que me levam a querer imigrar são exatamente os listados pra você. Boa sorte pra nós.

  2. Gianni Bueno
    Gianni Bueno

    Fala sr. Eder!

    Que alegria ver pessoas como você, que pesquisam bastante e se preparam antes de pisar na neve! Precisamos de mais imigrantes como você! Mas não foi pra isso que passei aqui pra deixar uma mensagem, mas pra dar um concelho de imigrante.
    Não sou pai (ainda), mas uma coisa que vejo frequentemente como dúvidas dos que são, como você, é exatamente sobre a adaptação dos filhos. Veja bem… Se ela tiver menos de 12 anos, acredite, a adaptação dela é o menor dos seus problemas… hahaha… Sinta inveja, mas muita inveja dela porque ela vai se sair melhor do que os pais. Mas é uma inveja boa, afinal, muitos mudam-se pelos filhos e essa luta é admirável.

    Vou te deixar triste em dizer que:
    – Ela será, no mínimo, trilíngue. Falando português como língua materna, francês por adoção e inglês como “segunda língua”;
    – Ela terá menos sotaque que vocês, se bobear, nenhum. Isso para as 3 línguas;
    – Abaixo de 12 anos, o círculo de amizades é menor e a adaptação para criar novas amizades é rápida;
    – As escolas possuem uma classe de acolhe para receber e preparar crianças cujo idioma materno não seja o francês e/ou o inglês;
    – As crianças se adaptam mais fácil ao clima. Irão fazer esportes de inverno, e quem sabe até partem para o profissional (nós adultos temos mais dificuldades nisso, uma vez que já passamos da fase de aprendizado).

    Então, apesar de eu ter te deixado triste por um lado, imagino que tenha alegrado muito um outro.

    Espero, em breve, poder ler a parte 2 dessa história!

    Forte abraço!

  3. Luccas Schmigel

    Também sou de Curitiba e comecei o grande percurso há 6 meses.
    Ainda falta bastante coisa para mim. Principalmente aprender a língua.

    Tenho planos de ir estudar lá ano que vem ou se não for possível, ao menos conhecer a cidade.

    Também coleciono links e informações e o duro é o tempo para organizar e ler tanta coisa.
    Fora o trabalho e estudo que já tomam muito tempo!

    Você com certeza tem boas chances, já que a area de TI está muito em alta.
    Quando você pretende ir?

    Grande abraço e boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.