Dicas

Você sabe se proteger das variações de umidade do ar?

Por Milena Fernandes

Até me mudar para o Canadá nunca dei muita importância aos índices de umidade do ar. Meu conhecimento era restrito a: em épocas de “seca” no interior de São Paulo (onde cresci) a gente aumenta a consumo de água e em épocas de chuva toma mais cuidado com mofo. Aqui no Quebec, assim como uma série de outros temas, a régua é muito mais ampla do que estamos acostumados no Brasil e os impactos das variações na umidade do ar interferem diretamente no nosso bem-estar. Como estamos no inverno, vou tentar explicar um pouco os efeitos causados por ele no nosso corpitcho e como podemos nos cuidar para reduzir o desconforto. No verão eu volto para falar sobre o extremo oposto. (Sim senhor, extremo oposto. Se você está em busca de novas experiências e sair da sua zona de conforto, o Quebec é o lugar certo, meu querido).

Alguns números para explicar melhor…

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o nível ideal de umidade do ar para o organismo humano gira entre 40% e 70%. Hoje por exemplo (Montreal, 28 de fevereiro de 2016) a umidade do ar do lado de fora é de 85% (dia nublado, com neve e temperatura em torno de -10 graus Celsius).

 

Captura de tela 2016-02-28 às 11.54.34

 

Já do lado de dentro, no quentinho do meu apartamento, a coisa é bem mais crítica. O aquecimento central fica constantemente ligado para manter a temperatura amena, entre 20 e 23 graus Celsius, fazendo a umidade do ar despencar para menos de 10%, hoje batendo a incômoda marca de 2%.

 

IMG_0993

 

É meu amigo, com esse nível de umidade do ar , se não se cuidar direito, prepare-se para dores de cabeça, sangramentos no nariz, garganta seca e irritada, sensação de areia nos olhos, ressecamento da pele, cansaço… os alérgicos então, haja remédio. Mas como a gente está aqui para te ajudar, seja você que já está até com alma ressecada ou você que está se preparando para vir, listamos algumas dicas e cuidados que vão te ajudar a não sentir tanto os impactos das variações de umidade do ar.

 

Em casa

Umidificadores podem virar seus melhores amigos. Existem opções de vários preços, tamanhos, marcas e são vendidos em diversos lugares (de lojas de departamentos a lojas especializadas). Ter um umidificador ligado no cômodo que você está (especialmente no quarto durante a noite) reduz bastante o desconforto da secura invernal. Procure por “humidifier” se você é da turma do Inglês ou “humidificateur” se você é da turma do Francês.

 

Esqueça que existe secadora de roupa nos meses de inverno e deixe suas roupas molhadas secarem naturalmente dentro de casa. A água das roupas evapora e eleva a umidade do ar, deixando o ambiente mais agradável. Sem contar que você economiza as moedinhas que usaria na secadora, ou na conta de luz.

 

Não é dia de lavar roupa e não tem umidificador? Sem problema, a famosa bacia com água ou uma toalha molhada estendida no cômodo dão conta o recado. O importante é ter uma fonte de umidade no ambiente.

 

Outra dica importante é manter a casa sempre limpa e arejada. O tempo seco aumenta a concentração de ácaros, fungos e da poeira em móveis, cortinas e carpetes. Abrir uma fresta da janela um pouquinho por dia para trocar o ar não vai matar ninguém congelado.

 

Beba muita água

É clichê, eu sei, mas com o frio a gente busca bebidas quentes para ajudar a esquentar e acaba esquecendo da água. Lembrando também que no inverno a gente transpira menos e qualquer ajuda que pudermos dar ao nosso corpinho para eliminar as toxinas é bem vinda. Ter sempre por perto uma garrafinha de água (e lembrar de beber) também ajuda bastante. Todo quebeca que se preze tem sua garrafinha de água e hoje eu entendo o motivo.

Corpo

Quem não quer um banho bem quentinho para esquentar o esqueleto depois de enfrentar temperaturas negativas? Tudo bem, é uma delícia e a gente merece, mas a água super quente resseca mais ainda a nossa pele. Para ajudar, troque o sabonete tradicional pelos com componentes hidratantes e capriche no hidratante pelo corpo todo assim que sair do chuveiro. Passar o hidratante no quentinho do banheiro é uma super dica para os mais friorentos.

 

Outra dica legal é esfoliar o corpo pelo menos uma vez por semana para remover as células mortas, isso facilita a absorção dos hidratantes.

 

Óleo de bebê também é um super aliado para quem tem preguiça do hidratante ou não gosta da textura grudenta. Depois de terminar seu banho, ainda no chuveiro, coloque umas gotas de óleo de bebê na mão e espalhe pelo corpo, depois é só enxaguar rapidamente e pronto. A pele já está hidratada.

 

Rosto

A temperatura muda, as roupas mudam e a rotina de cuidados com o rosto muda também. Converse com o seu dermatologista e peça indicação de cremes mais hidratantes para os meses de inverno.  Mesma coisa para os tônicos e esfoliantes. Com as temperaturas extremas, o vento e os aquecedores, a pele do rosto acaba ficando sensível, ressecada e as vezes até vermelha. Busque por produtos adequados para a situação da sua pele naquele período do ano.

 

Mãos

Como elas sofrem, tadinhas! Se você for como eu que morre de preguiça do põe e tira de luvas elas serão as primeiras a pedir ajuda. A combinação água quente + sabonete + detergente + temperatura muito baixa judia muito da pele das mãos e elas ficam tão ressecadas a ponto da pele ficar esbranquiçada, coçando e descamar. A temperatura muito baixa queima como o sol e as mãos (assim como o rosto) podem ficar vermelhos e ardendo como se fosse queimadura de verão.

 

Então não siga o meu exemplo e use sempre luva. Carregue com você um hidratante específico para a região e reaplique toda vez que lavar as mãos ou sentir que elas estão ressecadas. Vale um carinho especial com as cutículas também, massagear um pouco do mesmo creme já vai ajudar.

 

Lábios

Admito, depois de mudar para o Canadá virei a louca do hidratante labial. Tenho mais de um em cada bolsa e, na minha humilde opinião, os baratinhos de farmácia são os melhores. E se você é homem e acha que passar hidratante labial é coisa de menininha, prepare-se para mudar seus conceitos. Até marmanjo barbado usa hidratante labial se não quiser o lábio ressecado, partido e doendo.

 

Cabelos

Essa é mais para a mulherada.  A saga do cabelo no inverno… Enquanto a gente ama que com o ar mais seco o cabelo fica mais domado, no final do inverno depois de tanta água quente, secador e vento, o cabelo fica ressecado como se você tivesse passado seis meses na praia com muita água salgada e sol (mas sem o bronzeado, claro). Se puder, reduza a quantidade de vezes que você lava o cabelo (xampus secos ajudam bastante). Sempre que lavar aplique um hidratante sem enxágue,  adequado ao seu tipo de cabelo e que, de preferência, tenha protetores térmicos para reduzir o estrago do secador.

 

Hidratação profunda uma vez por semana (em casa mesmo) também faz milagres. Atualmente existem excelentes produtos que não custam tão caro e super funcionam. Procure em qualquer farmácia ou mercado, tem de todos os preços, gostos e marcas. Suas madeixas vão te agradecer por esse cuidado no final do inverno.

 

Bom, essas são algumas das dicas de uma jornalista curiosa que mora em Montreal há quatro anos e têm me ajudado bastante. Espero que sejam úteis para vocês também. Se tiver mais dicas e truques para sobreviver ao inverno deixe nos comentários abaixo, é sempre bom aprender e trocar experiências.

Image courtesy of artur84 at FreeDigitalPhotos.net

Textos relacionados

10 hábitos que adquiri em Québec Já disseram muitas vezes por aí: imigrar é recomeçar. Reformulo: imigrar é aprender tudo de novo. Sabe aqueles hábitos que você tem e que passam despercebidos porque eles acabam se tornando parte da sua rotina cotidiana no Brasil? Sim, tínhamos vários hábitos e será até assunto para um próximo post, mas para exemplificar, tínhamos o hábito de pe...
Urgente! Mudança nos prazos do Mon Projet Québec Parece que enxurrada de reclamações na internet surtiu efeito e o MIDI (Ministério de Imigração, Diversidade e Inclusão do Québec) resolveu agir para tentar melhorar o acesso dos candidatos ao Certificado de Seleção do Québec e assim, consequentemente, se tornar residente permanente. Em comunicado enviado hoje, o Ministério decidiu prorrogar o praz...
#60 – Como lidar com o frio extremo O Canadá é famoso por seu inverno glacial. Temperaturas que pode chegar a menos 40 graus, com um ventinho que corta a pele, queima as extremidades, detona o humor e dilacera a alma. Mas o cenário é realmente tão caótico assim? Viver no frio extremo é mais difícil que no calor senegalês cada vez mais frequente no Brasil? Quando saber que está ficand...
#69 – Quando a carne não é fraca: Vegetarian... Ultimamente tem sido cada vez mas divulgados os benefícios de se adotar dieta e hábitos que visam abolir o consumo de carnes e produtos de origem animal. Mas será que uma dieta 100% vegetariana é saudável? Qual a diferença entre vegetarianismo e veganismo? A questão se resume a "apenas"proteção aos animais, ou é uma maneira de salvar o planeta? Qua...

Sobre o autor
Milena Fernandes

Milena Fernandes

Jornalista, paulistana, apaixonada por comportamento humano, comunicação, etiqueta e estilo. Em Montreal desde 2012 e ainda encantada com as descobertas da vida do imigrante.


Comentários 2

  1. Dan @ SavewithDan.ca

    Ótimas dicas, Milena! Vale ressaltar que eslas servem para os homens também. Brasileiro tem essa coisa de macho-man que não usa creme ou hidratante… Besteira! Não saio de casa nos dias mais frios sem um hidratante no rosto, ajuda MUITO até a sentir menos o frio.

  2. Ju Gaspardo

    Amei! Vou acompanhar e compartilhar! Ler seus textos ajuda a amenizar um pouquinho essa saudade dolorida, posso te ouvir falando!!!!!! Parabéns 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.