Entrevista

Harmonizando sabores e culturas com o super chef Guga Rocha

Por Sarah Sanchez e Daniel Milazzo

Poutine de frango a passarinho com vinagrete, hambúrger de picanha com maionese de pequi, gim tônica de guaraná e caipirinha com gim québécois… Se tem uma coisa que não requer correção nas invenções do chef Guga Rocha, é a criatividade.

No último dia 13, o alagoano foi o chef convidado do Pub Le Pourvoyeur para uma noite de experimentações gastronômicas e culturais. Guga Rocha já é um habitué da Belle province. O apresentador do programa Homens Gourmet (FOX) já brincou de misturar sabores em Sherbrooke com o chef québécois, e seu grande amigo, Danny St-Pierre. “O Danny fala: eu sou você do Canadá e você, sou eu do Brasil!”

Do nordeste brasileiro para o mundo! Guga já viajou para mais de 35 países, sempre atento a novos ingredientes, novos conceitos e elaborando maneiras de harmonizar a culinária brasileira ao que ele encontra por aí. Mas se tem um lugar onde essa harmonia encontrou sua forma mais perfeita, com certeza é o Canadá. Pois o coração de Guga pertence a uma linda diplomata canadense.

O autor do livro “Receitas para pegar mulher” dedica muito tempo a pesquisas gastronômicas. No Brasil, por exemplo, já faz nove anos que ele trabalha num projeto de livro sobre comida quilombola. Aqui no Canadá, Guga diz que tem aprendido muito, especialmente no que diz respeito a técnicas de defumação de carnes e peixes. E cada vez que ele cruza essa fronteira, regala-se com outras delícias nórdicas. “Minha esposa acha engraçadíssimo. Toda vez que eu venho pra cá, como é bem mais barato, compro tipo caixas de blueberries e como feito pipoca, vendo televisão! Sou completamento viciado!”, diz ele.

A passagem de Guga foi rápida. Ele já voltou ao Brasil, mas sem deixar de intensificar o intercâmbio culinário: levou na mala cogumelos do Marché Jean Talon. Logo logo o talentoso, carismático e generoso chef estará de volta, integrando elementos do Québec aos quitutes brasileiros para deixar a gente com aquele gostinho de quero mais.

Aqui, você confere uma entrevista com o chef que encantou os québécois e esquentou o típico fim de semana de inverno em Montreal.

 

Textos relacionados

AEC, DEP, DIPLOMA UNIVERSITÁRIO …..  QUAL O ... Dowtown Montréal O sonho continua. Muita gente tem o Québec em mente e no coração. O desejo é imigrar para a província mais europeia da América do Norte. A pergunta de ouro hoje é. Qual formação educacional vai me ajudar nessa missão. Não custa nada uma breve explicação. O Québec tem um processo próprio de imigração. Significa que a provínci...
#61 – A importância do networking/réseautage... O ser humano é um animal social. E como já diz o ditado africano "quer ir rápido, vá sozinho. Quer ir longe, vá acompanhado". Isso serve para a vida. Mas quando transportamos para a realidade do imigrante, esse mindset é ainda mais importante. Porque devemos criar uma rede de contatos ainda antes de sair do Brasil? Como criar essa rede? Qual a impo...
#57 – A maternidade como la é…do lado ... Diz o ditado que ser mãe é padecer no paraíso. E quando a maternidade vem em outro país? Quais são as inseguranças da mãe? E o pai, como entra nessa história? Como enfrentar a distância da família? Especificamente no Canadá, como funciona o sistema de saúde para quem vai dar à luz? Quais são os benefícios do governo para os pais? É verdade que o pa...
#72 – 10 assuntos quentes e atuais da vida ... Quebrando o protocolo,  Montreal na Real na Radio Centre-Ville dessa semana decidiu não debater apenas um tema, mas 10 assuntos ligados ao dia-a-dia das Terras geladas! Marcio, Cida de Roussan e Tati Garrafa voltaram ao formato que já foi usado em outros programas e separaram vários assuntos quentes tanto no Brasil quanto no Canadá. Mas sem perder ...

Sobre o autor
Sarah Sanchez e Daniel Milazzo

Sarah Sanchez e Daniel Milazzo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.